FECHAR
PT / EN
LANCES FINAIS
Erika Verzutti e Luiz Roque
Lote 086
Vídeo Arte
Erika Verzutti e Luiz Roque
Lote 086
Dê seu lance CADASTRE-SE
Lances iniciais em 27/11
Vídeo Arte, 2017

Impressão com pigmento mineral em papel – Edição de 5 e 2 PA (#3#5)- Com moldura

80 x 53 cm
R$ 26950,00
lance inicial
Confira os lances

Erika Verzutti  (São Paulo, 1971) vive e trabalha em São Paulo. É bacharel em Desenho Industrial pela Universidade Mackenzie (1991) e Mestre em Fine Arts no Goldsmiths College (1999). Em seu trabalho, Verzutti exercita a justaposição livre de elementos e estilos díspares. Apesar de empregar materiais clássicos como a argila e o bronze, a artista rompe com as práticas formais ao revelar a estrutura das obras, incorporando acidentes como riscos, respingos e escorridos. Muitas de suas esculturas demonstram uma atenção especial à natureza, na utilização de frutas e legumes como moldes para o bronze. Principais exposições individuais: Erika Verzutti, Nottingham Contemporary (Nottingham, 2021); Erika Verzutti: a indisciplina da escultura, MASP (São Paulo, 2021); Erika Verzutti, Centre Pompidou, Paris (2019); Venus Yogini, Aspen art Museum, Aspen (2019); Cisne, Pepino Dinossauro, Pivô, São Paulo (2016); Swan with Stage, Sculpture Center (Nova York, 2015); Mineral, Tang Museum (Nova York, 2014); e uma exposição panorâmica individual no Centro Cultural São Paulo, em 2012. Sua obra está presente em coleções como Tate Modern, Londres, Carnegie Museum of Art, Pittsburgh, Guggenheim Museum, Nova York, Museu de Arte Moderna de São Paulo, Pinacoteca do Estado, São Paulo, entre outras.

Luiz Roque (Cachoeira do Sul, 1979) vive e trabalha em São Paulo. Sua produção tem foco na imagem em movimento se estendendo também para fotografia e escultura. Exposições individuais recentes incluem República (Pivô, São Paulo, 2021, e CAC Passerelle, Brest, 2020), Screen Series (New Museum, New York, 2020), Televisão (MAC, Niterói, 2018), HEAVEN (Tramway, Glasgow, 2017), The Modern Years (Mendes Wood DM, Bruxelas, 2017) e Ancestral (CCSP, São Paulo (2016). Seus trabalhos têm sido incluídos em inúmeras exposições coletivas tais como 1a Bienal de Riga (Letônia, 2018), Avenida Paulista (MASP, São Paulo, 2017), 32a Bienal de São Paulo (2016), Mark Leckey: Containers and Their Drivers (MoMA PS1, Nova York, 2016), The Violet Crab (DRAF, Londres, 2015), The Brancusi Effect, (Kunsthalle, Viena, 2014) e Medos Modernos (Instituto Tomie Ohtake, São Paulo, 2014).

A fotografia Vídeo Arte, feita em colaboração com Erika Verzutti, pertence à série de imagens realizada em 2017, em que as esculturas de Verzutti são registradas em composições arranjadas pela dupla de artistas, em imagens em preto e branco de alto contraste. A escultura parece posar para o retrato, que conta com um painel de led ao fundo, fazendo com que o próprio dispositivo de iluminação participe da composição.