FECHAR
PT / EN
LANCES FINAIS
Laura Lima
Lote 075
Leviane #11
Laura Lima
Lote 075
Dê seu lance CADASTRE-SE
Lances iniciais em 27/11
Leviane #11, 2021

Tule e gelo seco – Edição única

33 x 22 x 6 cm
R$ 42000,00
lance inicial
Confira os lances

Laura Lima (Governador Valadares, 1971) vive e trabalha no Rio de Janeiro. Desde os anos 1990, Laura Lima apresenta sua obra utilizando seres vivos (humanos, animais ou plantas) como matéria, construindo relações inesperadas com o espaço e a arquitetura. Seu intuito é desafiar conceitos convenientes dentro do vocabulário da arte como a performance ou instalação, por exemplo. A maneira como as formas de comportamento humano reagem à complexidade das relações sociais também é objeto de fascinação da artista, provocando um contínuo exercício em construir um glossário próprio dentro da obra. Exposições individuais recentes: 2019 – qual, Galeria Luisa Strina, São Paulo; Balé Literal, Galeria A Gentil Carioca, Rio de Janeiro; I hope this finds you well, Tanya Bonakdar Gallery, Nova York. 2018 – Alfaiataria, Pinacoteca do Estado, São Paulo; Cavalo come Rei, Fundação Prada, Milão. 2017 – A room and a half, CCA Center for Contemporary Art Ujazdowski Castle, Varsóvia. Exposições coletivas recentes: 2019 – Act 3: Dystopia, Kunstmuseen Krefeld, Krefeld; Mask, Aargauer Kunsthaus, Aarau; Contemporary Arts Center, Cincinnati; 14ª Bienal de Sharjah; Passado/ futuro/ presente: arte contemporânea brasileira no acervo do MAM, Museu de Arte Moderna, São Paulo; O tempo e a gravura no espaço, Fábrica de Arte Marcos Amaro, Itu. 2018 – Bienal de Busan / Divided We Stand, Busan; Lugares do Delírio, Sesc Pompéia, São Paulo; Forecast / Living Matter, Haus der Kulturen der Welt, Berlim; imannam, Pivô, São Paulo; O lugar do centro, Central Galeria, São Paulo; Jardim das delícia com juízo final, Galeria Cavalo, Rio de Janeiro.

Obra feita com filó e tule, e depois com gelo seco. O elemento congelado é frágil, instável e mutável. As obras desta série não são intituladas individualmente, pois compõem um grupo de trabalho sem gênero. Alguns são “levianos”, outros “levianos”, e há também “levianos”. Portanto, cada um deles tem suas próprias características e peculiaridades específicas. A artista explica: “O trabalho só acontece com os “levianos”. Como um tipo de atividade de jardinagem, alguém deve estar encarregado de cuidar da peça, alimentando-a com gelo. O trabalho precisa de duas ou três colheres de sopa de gelo. Sua manutenção é feita de acordo com a quantidade de gelo, sendo substituída quando se percebe que grande parte do gelo já se foi”.