FECHAR
PT / EN
LANCES FINAIS
Mano Penalva
Lote 035
Bico de Jaca
Mano Penalva
Lote 035
Dê seu lance CADASTRE-SE
Lances iniciais em 27/11
Bico de Jaca, 2020

Palhinha, muxarabi, ripa de madeira, cúpula de vidro, armação de alumínio, tinta spray, tinta acrílica, chassi – Edição única

112 x 67 x 20 cm
R$ 15400,00
lance inicial
Confira os lances

Mano Penalva (Salvador, 1987), vive e trabalha em São Paulo. Seu trabalho parte do estudo da Cultura Material, mudanças de comportamento e efeitos da globalização. Sua produção é deliberadamente não representativa, permitindo que os materiais ditem a sua forma. O artista explora a poesia obtida pelo deslocamento dos objetos de seu contexto cotidiano, trabalhando com diferentes mídias como pintura, fotografia, vídeo, escultura e instalação. Ao criar os trabalhos, subverte o valor dos objetos do cotidiano, propondo novos agrupamentos estéticos a partir da relação das estratégias de venda do varejo, das suas experiências de coleta e da observação do campo que transita entre a casa e a rua. Exposições individuais recentes: Casa de Andar, Portas Vilaseca Galeria (Rio de Janeiro, 2019); Acordo, Central Galeria (São Paulo, 2019); Hasta Tepito, B[X] Gallery (Brooklyn, 2018); Requebra, Frédéric de Goldschmidt Collection (Bruxelas, 2018). Exposições coletivas recentes: What I really want to tell you…, MANA Contemporary (Chicago, 2020); What I really want to tell you…, Atchugarry Art Center (Miami, 2019); Tropical Gardens, Felix Frachon Gallery (Brussels, 2019); 24º Salão Anapolino de Arte, (Anápolis, 2019); RECIPES FOR A B_R_Z_L_ ?, Spring Break/UN Plaza (New York, 2019).

Bico de Jaca, de 2020, faz parte da série Ventanas, na qual o artista explora estruturas em escala arquitetônica conjugadas com treliças, palhinhas, peneiras, espelhos e lustres, formando arranjos abstratos de senso construtivo. Há nelas um certo investimento pictórico, presente na relação entre chassi e moldura, nos tons da madeira, e com algo da técnica de velatura, com sobreposição e jogo de transparências. Nos trabalhos mais recentes da série, Penalva quebra ângulos retos com pinceladas sobrepostas e objetos cotidianos quase sempre arredondados.