FECHAR
PT / EN
LANCES FINAIS
Laura Vinci
Lote 022
Naturezinha morta
Laura Vinci
Lote 022
Dê seu lance CADASTRE-SE
Lances iniciais em 27/11
Naturezinha morta, 2020

Fotografia de celular – 1 P.A. de 5/5 + 2 P.A. – Edição única – Assinada – Com moldura

48 x 64 cm
R$ 8400,00
lance inicial
Confira os lances

Laura Vinci (São Paulo, 1962) vive e trabalha em São Paulo. Formou-se em Artes Plásticas na Fundação Armando Álvares Penteado e fez seu mestrado na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Participou da 26ª Bienal Internacional de São Paulo em 2004. Esteve em duas edições da Bienal do Mercosul, 1999 e 2005. Expôs no espaço do Octógono da Pinacoteca do Estado de São Paulo em 2007. Apresentou as obras LUX e no Ar no Carpe Diem Arte e Pesquisa em Lisboa em 2010. Em 2011 participou da exposição Cantiere Arte Ambientale, ex-Macello, em Pádua, Itália. Produziu Batéia especialmente para o vão central do Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro, para a exposição OURO, em 2014. No mesmo ano, fez Papéis Avulsos para a exposição Made by Brazilians no antigo prédio do Hospital Matarazzo em São Paulo. Em 2016 participou da exposição Desenhos de Cena #1 realizada no Sesc Pinheiros e do projeto O Ovo e o Voo no Sesc Pompéia, ambos em São Paulo. Em 2017 participou da exposição  Pedra no Céu – arte e arquitetura de Paulo Mendes da Rocha no MUBE, em São Paulo.  Em 2018 apresentou Diurna no Santander Farol, morro mundo na galeria Nara Roesler em São Paulo, Diurna na galeria Nara Roesler de Nova York e Todas as Graças no Instituto Ling em Porto Alegre. Em 2019 apresentou a obra No Ar no lançamento do projeto Terra Nova da Feira Literária Internacional de Paraty. Tem extensa atuação como cenógrafa e diretora de arte.

Naturezinha morta foi feita no início da pandemia, em maio de 2020. A imagem granulada nos transporta para dentro da casa da artista, retratando uma composição cotidiana e comum de vegetais. Em sua prática, Vinci busca investigar os processos de movimento ou alteração da matéria, evidenciando a transitoriedade dos elementos que ocupam determinado local, assim como estimular o público a ter novas percepções sobre o ambiente ao seu redor.